Bebidas e alimentos açucarados: vilões da saúde

capacidade de concentração, final de semana, reunião de Saúde, todos os dias da semana,

Bebidas e alimentos açucarados: vilões da saúde

O dia começa e, para despertar, geralmente um café bem docinho vai bem. Na hora do almoço, para acompanhar a comida, um suco de latinha, sem falar na sobremesa depois. À noite, no jantar, um refrigerante bem gelado. Claro que esses são alguns exemplos, mas milhares de brasileiros têm incluído em sua dieta bebidas que, por conter muito açúcar, trazem diversos prejuízos à saúde e podem até levar à morte.

O resultado de um estudo feito pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, alerta que em 51 países o consumo de refrigerantes e outras bebidas açucaradas é responsável por mais de 180 mil mortes no mundo por ano. “Existem fortes evidências de que muito açúcar na dieta aumenta o risco de doenças cardiovasculares, obesidade, diabetes, gota, fígado gorduroso e alguns tipos de câncer. Outro ponto é o aumento da ansiedade, hiperatividade, irritabilidade e a redução da capacidade de concentração”, explica Daniel Pecchio, nutricionista formado pela Universidade de São Paulo.

Se você é daqueles que são viciados em bebidas doces fique atento. Juliana da Costa Silveira, nutricionista e mestre em ciências bioquímicas, revela que uma latinha de 355 ml de refrigerante possui em média cerca de 36g de açúcar, o equivalente a nove colheres de chá de açúcar. “Além do refrigerante, devemos nos preocupar com outras bebidas que até parecem saudáveis, mas que não são justamente por causa da alta quantidade de açúcar. Entre os exemplos estão o néctar de fruta (a lata de 355 ml tem cerca de 39g de açúcar ou 10 colheres de chá) e o chá tipo ice tea (a lata de 355 ml tem cerca de 30g de açúcar ou oito colheres de chá)”, ressalta.
Bianca Gonçales Pimentel, de 25 anos, auxiliar financeiro, não costumava prestar atenção à alimentação e consumia com frequência sucos industrializados. “Eu também comia e bebia o que queria quando tinha fome. Pizza, por exemplo, todo final de semana e refrigerante”, lembra.

Tudo mudou quando, há um ano e meio, ela começou a trabalhar em um estúdio de pilates, local para a prática de exercício que visa o fortalecimento muscular. “Nesse trabalho, comecei a entender a importância de cuidarmos da saúde por meio da alimentação. Conheci uma nutricionista em um evento e ela me orientou”, conta.

Bianca decidiu priorizar a qualidade de vida, em vez do desejo desenfreado de consumir o que bem entendia. “Passei a consumir frutas, pães integrais, queijo branco, arroz integral e carnes cozidas e a comer de três em três horas. Cortei o açúcar da alimentação. Nada de refrigerante ou qualquer outra bebida excessivamente açucarada”, diz.

bebidas e alimentos açucarados 2Mas, segundo a jovem, não foi nada fácil. “Sentia muita vontade de beber e comer doces, principalmente após o almoço. A estratégia foi trocar o doce desejado por gelatina diet e manter a força de vontade, pois os resultados eram visíveis”, acrescenta.
Quatro meses depois de ter adotado uma nova alimentação, ela percebeu os resultados no corpo e na saúde. “Emagreci nove quilos. No início notei que desinchei, pois o inchaço era causado pelo consumo excessivo de açúcar. Meu corpo mudou muito, minha pele ficou mais bonita, passei a ter mais disposição, a dormir melhor e a querer cada vez mais superar os limites”, conta.

A transformação em sua vida foi tão profunda que ela deseja trabalhar na área nutricional para ajudar outras pessoas. “Me apaixonei por esse estilo de vida. Hoje sou estudante de educação física e pretendo fazer nutrição com foco no segmento esportivo”, revela.

A importância do aspecto emocional para a dieta
Uma situação de nervosismo, ansiedade ou tristeza incentiva muitas pessoas a consumir bebidas e alimentos em excesso. “Tem gente que usa diariamente os doces e as bebidas açucaradas como antidepressivos. Outros comem para ocupar as tardes de um dia entediante. Por isso, nesses casos, o consumo só será reduzido quando a pessoa tratar a raiz do problema”, explica Daniel Pecchio.
Atitudes como essas podem virar um mau hábito. Então, se você tem descontado seus problemas na alimentação, é importante buscar ajuda para resolvê-los. Além disso, o especialista afirma que não é preciso excluir esses produtos da dieta, mas reduzir o consumo, quando for exagerado. “Não há necessidade de extremismos. Você consome grande quantidade de doces todos os dias da semana? Tente passar a comê-los cinco vezes por semana ou diminuir um pouquinho a quantidade que ingere. Grandes conquistas começam com pequenos passos”, finaliza o nutricionista.

Substitua o açúcar
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o consumo de açúcares deve ser menor que 10% do valor calórico total da dieta diária, ou seja, não maior que 200kcal (50g de açúcar) por dia para uma pessoa cujas necessidades nutricionais é de 2.000kcal/dia. Juliana da Costa Silveira, mestre em ciências bioquímicas, geralmente orienta o paciente a começar reduzindo a quantidade que ingere.

“Em substituição às bebidas, sugiro o consumo de água, água aromatizadas (água com pedaços inteiros de frutas ou gengibre ou ervas) e de coco, chá quente ou frio e sucos sem açúcar e sucos naturais e integrais diluídos”, afirma Juliana.

Uma alimentação equilibrada resulta em um sono tranquilo, em peso ideal e saúde em dia. Você é o que você come. Por isso, preste atenção à sua alimentação e não se engane com os rótulos de alimentos industrializados. Então, que tal começar a mudança na sua dieta hoje?

Se você quer complementar seu tratamento médico com auxílio espiritual para sua dieta ou para qualquer outro problema de saúde que você possa estar enfrentando, participe de nossa reunião de Saúde, realizada todas as terças-feiras no Centro de Ajuda local.

Gostou? Então compartilha: