Você é o que você pensa?

God, problemas muito sérios, um simples pensamento, uma hora oportuna,

Untitled-10

Você já ouviu a frase “nós somos o que pensamos”? O ditado popular mostra, de forma resumida, que seus pensamentos influenciam muito a sua vida. Uma prova bem simples disso: já experimentou cozinhar algo quando está chateado, triste, com raiva ou com medo? Não importa se você é um estrelado chef internacional, o prato não vai ficar perfeito. Não é a comida em si que é boa ou ruim, os ingredientes que têm boa ou má procedência, mas a sua ação sobre eles, seu humor ao manipulá-los.

O exemplo do cozinheiro pode ser simples, mas demonstra claramente como estamos sujeitos aos nossos próprios pensamentos. Não podemos impedi-los, eles vêm. Mas podemos influenciá-los. E até repreendê-los quando são negativos.
O que é uma obsessão senão um pensamento que ganhou força a ponto de tomar conta de sua existência? A pessoa sente que é impossível parar de pensar em uma situação, em alguém ou em algo que cause medo. E isso passa a controlar seu dia a dia. Então, se essa obsessão começou pequena, lá atrás, com um simples pensamento, a estratégia correta é saber como ela começa.

A resistência deve ser posta em ação logo no início, assim que os pensamentos iniciais surgem. É mais fácil arrancá-los quando ainda são uma frágil plantinha do que quando já virou uma enorme e terrível árvore que toma conta de todo o terreno com suas intrincadas raízes. O Bispo Edir Macedo falou sobre o assunto em seu blog : “Se os maus pensamentos vêm e não resistimos a eles de imediato, eles ganham força e podem causar riscos à boa consciência. E quanto mais tempo lá ficam, mais difíceis para serem reprimidos.

Muitas pessoas não teriam passado por problemas muito sérios se tivessem cortado o mal lá no começo, quando ele ainda era um simples pensamento. Como fazer, então, para impedir essa semente poderosa de germinar? Controlar os pensamentos antes que eles controlem você. Sim, é seu cérebro que manda. Confira na próxima página algumas dicas indispensáveis.

Pense com clareza em uma coisa de cada vez. É como aqueles brinquedos de blocos de encaixar: só cabe uma peça naquele determinado lugar, mas você é quem escolhe qual deve colocar ali para formar o objeto desejado. Começou a mentalizar algo ruim? Jogue o pensamento fora antes que ele se encaixe com força na sua mente e ponha logo outro pensamento bom no lugar. Uma vez ocupado o espaço, as ideias ruins não terão onde ficar.

Ainda levando em conta a dica anterior, o que encaixar de bom na sua mente? Algo positivo para você e com boas consequências. Estar com uma pessoa de quem goste, um bom filme, uma canção agradável, um livro de qualidade, uma oração sincera, uma tarefa doméstica que você precise fazer e adiava há muito tempo sabe-se lá por quais motivos.

Corra do estresse. Ele intensifica a entrada de doenças em seu corpo e de pensamentos ruins em sua mente. Entendeu agora por que ele é a maior causa de mortes do mundo, superior até mesmo a guerras?

Mas, se não houver jeito e eu tiver de pensar em algo ruim, algo que deva ser resolvido?”, você pode questionar. Claro, ninguém aqui está recomendando ilusões ou fugas de responsabilidade. Não é questão de fugir, mas de vencer. Então, vamos por um caminho estratégico. Pense em um guerreiro entrando em uma batalha desmotivado ou de cabeça quente. As chances dele ser vencedor são mínimas. Mas e se esse mesmo soldado esperou uma hora oportuna e soube usar uma tática mais elaborada, com o devido treinamento? Provavelmente ele sairá vivo do front. O segredo é o foco: se um pensamento ruim é um problema, devemos nos concentrar na solução.

De posse dessas dicas, chegamos a uma conclusão bem interessante: mesmo que um pensamento (ou sentimento) ruim se manifeste, ninguém disse que você é obrigado a obedecê-lo. Como o Bispo Macedo disse no começo do texto, é uma questão de se proteger e usar uma coisa muito importante. Ela se chama consciência. Você é o dono do lugar em que aquela ideia ruim ou triste quer se alojar, se espalhar, tomar conta. Barre-a logo na entrada, para que ela permaneça bem longe de você.

Aos domingos, em todos os Centros de Ajuda, bispos, pastores e obreiros clamam para que todos os presentes tenham um encontro com Deus. Se você tem chorado, mesmo que baixinho e sem que as pessoas saibam, se você está cativo por causa de um problema, não deixe de participar, desse dia especial.

Gostou? Então compartilha:

Deixe um comentário