A do contra – rebeldia

esse tipo de tratamento, sabe aproveitar as oportunidades., uma boa filha,

Quando mudamos para Nova York e entramos na escola, uma das coisas que mais me chocou com o jeito dos adolescentes foi justamente a rebeldia que tinham por tudo e por todos. A cara amarrada, as respostas grosseiras com os professores e a falta de um mínimo de respeito com os pais me assustaram. Nasci e cresci num lar cristão, onde os valores e princípios sempre foram bem visíveis. Nós, minha irmã e eu, não tínhamos tudo o que queríamos e nem por isso éramos rebeldes. O que a mamãe e o papai falavam era lei, não questionávamos. Fomos adolescentes e não rebeldes.

Por que será que todo adolescente tem que passar pela fase da rebeldia, a ponto de ser algo esperado pelos pais de nossa atual sociedade? Querem fazer o que acham melhor – até parece que sabem de alguma coisa! Gostam de ignorar os pais, que são bem mais vividos que eles. Preferem dar ouvidos a outros adolescentes, que também não sabem de nada. Sinceramente, quanta ignorância!

Tirando as questões óbvias que os pais não merecem esse tipo de tratamento, que são os filhos que perdem quando não seguem as instruções dos que sabem mais e que Deus é contra esse tipo de comportamento, a rebeldia causa muitos sofrimentos. Ela acompanha a pessoa até mesmo depois do casamento.

A jovem que é rebelde com os pais hoje será uma esposa problemática amanhã. O mesmo se aplica para o rapaz. Quando a pessoa é uma boa filha, ela provavelmente será uma boa esposa.

Então, enquanto o mundo diz que temos que ser rebeldes, eu acho a rebeldia uma tolice de quem não sabe aproveitar as oportunidades. Se você é jovem, você nasceu ontem e, consequentemente, deveria procurar aprender com quem nasceu antes de você. Se você acha que tem que ser rebelde para respeitarem a sua personalidade é porque, na verdade, ainda não a tem.

Cristiane Cardoso

Gostou? Então compartilha:

Deixe um comentário