Cure-se antes de voltar a amar

em primeiro lugar, história de vida, um casamento feliz,

Cure-se antes de voltar a amar
Um namoro atrás do outro, a acomodação no casamento, uma mulher que diz que o amor não existe e por isso vive solitária. Se você nunca passou por nenhuma dessas situações, deve conhecer alguém que esteja passando. É comum ouvir que um novo amor pode curar a dor do anterior, que o matrimônio depois de certo tempo fica monótono e que amar só machuca. Mas nada disso é verdade. Você sabia que a raiz de todos esses problemas pode estar no interior da pessoa, na história de vida dela e nas feridas que não foram cicatrizadas? De nada adiantará a mulher ter o homem perfeito ao seu lado se não aprender a verdadeira e única forma de resolver seus problemas internos.

Assim como ela, milhares

Thaysa Pereira Silva, de 24 anos (foto abaixo), estudante de administração e assistente de recursos humanos, só aprendeu a importância de se curar para encontrar a felicidade depois de muito sofrimento. Mais nova, quando estava com 15 anos, se apaixonou por um rapaz da cidade onde mora. O sentimento foi recíproco e eles começaram a namorar. Dois anos se passaram e ele decidiu que não queria continuar mais naquele relacionamento.

“Fiz dele tudo na minha vida e na minha cabeça nada podia dar errado. Eu já tinha planejado até o nosso casamento. Quando tudo acabou eu ‘perdi o chão’, me senti rejeitada, feia, fiquei com uma ferida enorme na alma”, recorda-se a jovem.

Thaysa conta que depois do término perdeu até a vontade de viver, uma vez que ela tinha feito daquele seu namorado um deus, e quando ele foi embora nada mais parecia fazer sentido. “O vazio ganhou espaço dentro de mim. O tempo passava e eu não conseguia esquecê-lo. Decidi que nunca mais me envolveria com ninguém”, declara. Mas, naquela época, a estudante não entendeu a origem de tudo: se ela não se amava, como poderia amar verdadeiramente alguém?

O apresentador e palestrante Renato Cardoso diz que se uma pessoa não se gosta, nunca terá um casamento feliz. “É difícil amar quem não se ama. As pessoas boas lhe olham e sentem pena de você, e as pessoas más tiram vantagem. E isso só reforça sua opinião de si mesma: eu não sou uma pessoa gostável.”

Ele também explica que para ter um bom relacionamento com alguém é preciso antes ter um consigo mesmo. “Primeiro, descubra por que você não se gosta. Segundo, identifique quais são motivos reais e quais são apenas pensamentos negativos plantados em sua mente por outras pessoas. Terceiro, você precisa acreditar em quem realmente gosta de você.”

 

Ela encontrou a força de que precisava para vencerfolha2.300x200

Thaysa já frequentava a Universal, mas não sabia como vencer aquele problema. Quando batia a tristeza, ela se colocava ainda mais para baixo, se sentia indesejada e isso só acarretava mais e mais solidão. “Foi em meio a tanta dor que decidi ir à Terapia do Amor. Lembro-me de uma reunião em que ouvi sobre a importância de curar a si para amar o outro. Essa reunião mudou tudo em minha vida”, conta a jovem.

Naquele dia, ela se reencontrou com o maior amor que alguém pode ter. “Reconheci a verdadeira influência de Deus. Hoje eu me amo. Mesmo não namorando no momento, sei que estou preparada para quando acontecer e, mais do que isso, sou feliz comigo mesma”, diz.

Thaysa aprendeu a construir uma boa estrutura emocional e espiritual para enfrentar as lutas. “Não dependo de outra pessoa me dizer que estou bonita para achar isso. Tenho autoconfiança e planos para o futuro”, finaliza.

A psicóloga Leila de Souza Carvalho ressalta que transformamos a dor em algo positivo quando a convertemos em aprendizado. “Quando nos percebemos tristes, a primeira coisa que precisamos saber é que não é por causa do relacionamento, mas em razão do próprio eu. A mulher tem que focar em ser a princesa e não em procurar o príncipe”, orienta.

 

amigos1.300x200

A lição para se livrar do medo e da insegurança

A escritora e apresentadora Cristiane Cardoso contou em seu blog que durante um evento do “The Love School” no Wembley Arena, em Londres, ao lado do esposo, Renato Cardoso, fez uma descoberta. Ela disse que se lembrou da época em que eles tinham problemas sérios no casamento, de como ela era insegura e implorava por atenção.

Foi quando ela entendeu por que tantas mulheres não conseguem se livrar de relacionamentos abusivos, mães deixam de viver por causa dos filhos e jovens se deixam usar como objetos. Elas fazem isso para se sentir amadas. “Todas têm uma característica em comum: elas se amam menos. Quando nós amamos alguém mais do que a nós mesmas, deixamos de fazer por nós o que só nós podemos fazer: nos cuidarmos, nos amarmos, nos preservarmos e nos valorizarmos.”

No evento, Cristiane e Renato deixaram uma lição fundamental a todos aqueles que precisam se curar e encontrar uma direção: a regra dos três relacionamentos. Em primeiro lugar na vida de uma pessoa deve estar Deus, em segundo o amor por si mesma, e só em terceiro o amor por outra pessoa.

Lembre-se do mandamento bíblico de amar o próximo como a si mesmo e reflita que tipo de tratamento você tem dado a si nos últimos tempos. O que você tem feito para encarar os problemas e curar as feridas que ainda persistem dentro de você e só a fazem repetir os mesmos erros?

Como se curar de uma dor interior (*)

  • Invista na sua fé, aprenda a usar a inteligência espiritual;
  • Divirta-se sozinha;
  • Planeje momentos com suas amigas e amigos;
  • Aprenda a gastar tempo com você;
  • Tenha objetivos em todas as áreas de sua vida: amorosa, saúde, financeira, carreira, lazer, social e familiar;
  • Se arrume para você mesma e não para outra pessoa.

Leila de Souza Carvalho, psicóloga

 

Gostou? Então compartilha:

ONE Comentários

  • Reply

    Lígia Alves

    8th April 2018

    É um grande aprendizado de vida para o princípio da cura no relacionamento. Agradeço a Deus por mim ensinar a mim amar mesmo na dor.E reconhecer os cuidados de Deus em tudo.

  • Deixe um comentário