Voluntários da Universal enviam suprimentos para área com desastre natural

região metropolitana da capital, vítimas dessa tragédia,

 Voluntários da Universal enviam suprimentos para área com desastre natural

No dia 25 de janeiro, em plena hora do almoço, o Brasil ficou chocado com a notícia de outro desastre ambiental no estado de Minas Gerais: uma barragem administrada pela gigante mineradora Vale que rompeu na cidade de Brumadinho, na região metropolitana da capital, Belo Horizonte.

Mais de 12 milhões de metros cúbicos de lama foram liberados sobre os trabalhadores da empresa e os moradores do bairro Vila Farteco, que ficaram submersos após a ruptura da represa.

Até o momento, 110 pessoas morreram, enquanto 238 estão desaparecidas, segundo a Brigada de Incêndio. O rio Paraopeba, um dos principais da região, também estava coberto de lama, causando uma perda irreparável de vida selvagem e peixes. Entre as vítimas está Roselia Alves Rodrigues Silva, de 36 anos, assistente voluntária da igreja Universal no Brasil. Ela é nutricionista no restaurante da empresa, em uma das áreas mais afetadas pelas águas barrentas. Ela ainda está desaparecida.

Solidariedade

No meio dessa tragédia, as vítimas do desastre receberam ajuda de pessoas generosas que não conseguiam ficar paradas. A Igreja Universal de Minas Gerais também mobilizou seus membros para fornecer ajuda às famílias afetadas.

Cada igreja do estado se tornou um ponto de coleta. Mais de mil voluntários estão dando apoio às famílias afetadas. Água potável, roupas, alimentos, produtos de higiene pessoal, colchões, travesseiros e cobertores foram doados.

“Temos equipes de apoio nos hospitais e abrigos para onde essas famílias vão, para dar apoio espiritual e ajudar os aflitos e desesperados”, disse o bispo Rogério Formigoni, responsável pela Igreja Universal em Minas Gerais.

“Toda doação que estamos recebendo, neste momento, está sendo levada pela Guarda Nacional para ser distribuída em locais de apoio. Nossa equipe está de plantão desde ontem e estamos à disposição deles”, concluiu o bispo.

No entanto, a Guarda Nacional pediu que as pessoas parassem de doar, porque já têm mais do que o suficiente para ajudar as vítimas dessa tragédia.

Gostou? Então compartilha:

Deixe um comentário