Parece que você sempre escolhe a pessoa errada? Então, continue lendo…

Um estudo realizado pela Universidade de Toronto (Canadá) revelou que, geralmente, as pessoas escolhem parceiros amorosos parecidos ao longo da vida. Ou seja: por mais que a pessoa termine um relacionamento e parta em busca de “algo novo”, sempre opta por pessoas com características semelhantes.

Um dos pesquisadores responsáveis pelo estudo, o filósofo e cientista social Yoobin Park, explica que tanto homens quanto mulheres têm a tendência de se envolver sempre com o mesmo tipo de pessoa:

“As pessoas que temem encontrar uma cópia do ex e repetir os mesmos erros estão ignorando o peso de suas próprias ações na manutenção do relacionamento, independentemente de quem estão namorando”, afirma Park.

Pessoa errada ou atitudes erradas? 

O que o estudo canadense realmente indica é que não existe “a pessoa certa”. Ao contrário, as pessoas costumam utilizar essa desculpa para se esquivar da responsabilidade pelas atitudes tomadas no relacionamento. Afirmam que “estavam com a pessoa errada” e partem em busca de outra.

Então dizem: “’o casamento não deu certo’ ou ‘casei com a pessoa errada’ ou ‘não somos almas gêmeas’ são expressões que nos isentam totalmente de culpa quando o relacionamento destrambelha para o fracasso”.

Ou seja, fracassados em seus relacionamentos transferem a culpa para algo abstrato. E partem em busca de um novo amor, sem reconhecer o que fizeram de errado no anterior.

“A lógica do mito faz com que eu pense, portanto, que se a pessoa com quem eu me casei não me ‘completa’, não me faz feliz, não me compreende e não me faz sentir como me sinto quando como chocolate, então ela não é a minha alma gêmea. Logo, é em vão continuar no relacionamento tentando o que nunca será possível conseguir com aquela pessoa (errada). A solução é se separar e continuar a busca pela alma gêmea (a pessoa certa)”.  “No entanto, não existe ‘alma gêmea’ ou ‘pessoa certa’. Casamento feliz é fruto de trabalho em dupla. Isso é algo que nem todos querem ouvir. As pessoas não querem ter trabalho, querem as coisas prontas.”

A chave para a felicidade amorosa não é encontrar a pessoa certa. Mas sim tomar as decisões certas.

Então, o que fazer?

Antes de jogar seu relacionamento no lixo, tente consertar o que há de errado. Até porque, como ficou comprovado, seu novo amor provavelmente te trará tanta infelicidade quanto o antigo. A menos que você mude suas atitudes.

Recomendamos que se pratique atitudes simples, que farão toda a diferença no relacionamento: “As leis do relacionamento estabelecido por Deus não são desconhecidas de ninguém. Coisas como perdoar, tratar o outro como também quer ser tratado, ter paciência, servir, ajudar, ouvir, não ser egoísta, falar a verdade, ser fiel, respeitar, ter bons olhos, tirar a trave do próprio olho.”

Caso você ainda tenha alguma dúvida a esse respeito, participe da Terapia do Amor, que acontece todas as quintas-feiras, na Universal. Clique aqui e descubra o endereço mais próximo de você.

Gostou? Então compartilha:

Deixe um comentário