Voltando ao nosso primeiro amor

servir a Deus, um verdadeiro encontro com Deus, uma vida de sofrimento e desespero,

Voltando ao nosso primeiro amor

Este texto é para que todos nós – que já vivemos uma vida de sofrimento e desespero, buscamos um alívio para nossa dor e finalmente encontramos a benevolência de Jesus – possamos entender o conceito de estar no “primeiro amor”. No momento do nosso encontro com Deus, somos restaurados, e finalmente encontramos a paz. Nascemos de novo e vivemos um novo episódio de inocência, como na época em que éramos crianças. Em nossa vida nova, nós vemos tudo com pureza e entusiasmo, e nada é um fardo. Temos prazer em dar o nosso tempo e energia e, mesmo quando não podemos fazer isso, nós realmente desejamos que pudéssemos estar fazendo.

Servir a Deus é sempre um prazer, especialmente quando isso envolve a propagação da Sua Palavra. Neste momento de nossa vida, tudo gira em torno da vontade de Deus e da salvação de almas que estão sofrendo por aí sem conhecer Seu poder – assim como fomos um dia. Estamos sempre animados para fazer as coisas para Jesus, e vemos tudo o que fazemos como algo Sagrado. Estas são características de uma pessoa que é grata a Deus por tudo o que Ele fez em sua vida. Por isso, encontramos uma maneira de retribuir a Ele – mesmo que nossas ações sejam infinitamente pequenas em comparação às dEle. Mas com o passar do tempo, muitos deixam seu primeiro amor diminuir e acabam tendo outras prioridades na vida. 

“Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor.” (Apocalipse 2:4)

Mas quando perdemos o primeiro amor, servir a Deus se torna um fardo. Nos cansamos até mesmo de ir à igreja. Começamos a tirar tempo para nós mesmos e negamos tempo para Deus. Olhamos para tudo com malícia. Nos tornamos problemáticos e encontramos desculpas para tudo. Mas a verdadeira razão para alguém perder o primeiro amor é porque no começo tudo era novo. Uma vez que a novidade acaba, muitos de nós cansamos de servir Aquele que nos libertou de uma vida de sofrimento. Não percebemos que estávamos sendo guiados pelas emoções da mudança e esquecemos que servir a Deus não tem nada a ver com emoções – apenas fé! É por isso que, quando não estamos em nosso primeiro amor, nos colocamos em uma posição perigosa. Isso significa que não estamos crendo como deveríamos, então abandonamos o amor e a dedicação que tivemos antes e começamos a colocar outras coisas acima de Deus. E nós fazemos isso conscientemente, mesmo que relutemos em admitir.

“Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres.”

(Apocalipse 2:5)

Se compararmos nossa dedicação a Deus hoje ao que costumávamos fazer no passado, podemos ter uma perspectiva muito precisa de onde estamos. Mais importante ainda, o melhor indicador de alguém que não está em seu primeiro amor é a falta de paixão pelas almas. A paixão de ajudar os sofridos e contar-lhes sobre Jesus é o primeiro presente que recebemos depois de um verdadeiro encontro com Deus. Se você não está mais empolgado com as coisas de Deus ou se sua paixão pelas almas diminuiu, você não está no seu primeiro amor. Como a passagem Bíblica acima afirma, Deus mantém isso contra você. Mas você tem a chance de mudar esta situação. Arrependa-se da frieza que você permitiu prevalecer em seu coração, abandone as coisas que o distraíram e volte a fazer as primeiras obras. Você verá que Deus irá reavivá-lo completamente.

Gostou? Então compartilha:

Deixe um comentário