Vale tudo por uma paixão?

a buscar a Deus, na minha vida, queria ser feliz,

 

“Eu comecei a envolver-me com homens casados aos 13 anos de idade.

Vale tudo por uma paixão?Aos 18 anos, na tentativa de mudar de vida, mudei-me para outro estado. Mas continuaram a aparecer só homens casados na minha vida.

Até que me apaixonei por um homem que, a princípio, não sabia que era casado. Eu não queria mais isso para mim. Eu queria casar e ser feliz.

No entanto, a desconfiança tomou conta de mim, uma vez que ele desaparecia durante os fins-de-semana e não dava qualquer notícia.

Até que um dia resolvi ligar para um número do qual ele havia me ligado, e o que eu suspeitava foi comprovado. Quem atendeu foi a esposa dele, que cansada de tantas traições revelou-me que ele tinha várias amantes, e que eu era apenas mais uma.

Eu não queria destruir o casamento de ninguém, eu só queria ser feliz. Eu não procurava homens casados, o meu envolvimento com eles não era propositadamente, acontecia. Eu queria ser uma mulher valorizada, queria casar, ter filhos, queria ter a minha casa.

Mas, mesmo assim, eu não conseguia dizer “não” àquele relacionamento. Eu estava apaixonada por ele. Era uma paixão doentia.

Por várias vezes eu prometi a mim mesma que iria sair daquele relacionamento, mas eu não conseguia. Nem eu mesma acreditava mais que conseguiria.

Nessa época eu morava na casa de uma senhora que já frequentava o Centro de Ajuda e comecei a acompanhá-la nas reuniões, mas não tomava uma atitude. Um dia, porém, eu tomei uma decisão. Eu estava desempregada, sozinha num quarto, só com uma televisão, e aquele vazio. Então, eu disse para mim mesma: ‘Eu não quero mais essa vida para mim.’

Nesse dia, eu pedi forças para Deus porque eu estava decidida a sair daquele relacionamento.

Foi quando eu comecei a buscar a Deus de verdade e, participando das reuniões, fortaleci-me e venci aquela paixão que só me fazia mal. “Se eu não posso levar todas as pessoas a visitar Israel, então eu posso trazer um pouco de Israel para todos”

Após 2 anos perseverando na fé, reencontrei o Eduardo, um antigo namorado de infância, e tive a certeza de que ele era a pessoa certa para mim. Eu queria um relacionamento saudável, por isso desde o início deixei claro que se ele quisesse algo sério comigo teria que tomar uma decisão. Depois que eu conheci a Deus eu fiquei forte, eu não precisei mais mendigar carinho de ninguém. Aprendi a valorizar-me.”

Eduardo, que começou a participar das reuniões do Centro de Ajuda ao lado de Gessillene, vendo a determinação e a firmeza de caráter dela, não hesitou em assumir um compromisso com ela e, após 3 meses, casaram-se.

Casados há 6 anos, estão juntos e felizes na presença de Deus.

Gessilene Mesquita

 

 

Gostou? Então compartilha:

Deixe um comentário