Por que o seu filho faz birra?

Cristiane Cardoso, God,

Fotolia_92437218_Subscription_XXL.300x200

Crianças e jovens se comportam mal porque ainda não sabem resolver os seus problemas. Basta analisar as diversas situações em que eles agem irracionalmente para perceber isso:

– Você contrariou o seu filho, que queria comprar um brinquedo caro, e ele fez escândalo na loja;

– O adolescente tem problemas para construir amizades na escola, então junta-se aos desordeiros para ser melhor aceito;

– Dois irmãos querem assistir a programas diferentes na tevê e, sem conseguirem dialogar, partem para agressões físicas.

Esses problemas, assim como todos os outros, poderiam ser solucionados de maneira harmoniosa, mas os mais novos ainda não aprenderam a resolver situações adversas de maneira racional e, por isso, partem para o irracional.

“Uma definição de criança é: alguém que ainda não desenvolveu a sua capacidade de raciocínio e juízo.” ressalta o palestrante Renato Cardoso, criador da palestra Transformação Total de Pais e Filhos.

O que os mais jovens precisam é de ferramentas para vencer os obstáculos. E os principais responsáveis por oferecer essas ferramentas são os pais.

Com criança não se discute

É um erro o pai gritar com um filho que está gritando com ele. De acordo com Cristiane Cardoso, esposa de Renato, quando os pais agem irracionalmente demonstram duas coisas: que eles não têm controle sobre si mesmos e que é normal agir de forma irracional diante das adversidades.

“Se você lida com o problema do filho de forma emotiva, nervosa, ele vai aprender: ‘Bom, eu também posso gritar. Eu também posso ficar nervoso. Eu também posso bater a porta’”, explica Cristiane. “Porque você está mostrando para ele que você perdeu o controle. Então, uma das frases que pai e mãe têm que aprender, têm que decorar e usar bastante na conversa com o filho é a seguinte: ‘Filho, filha, como é que a gente vai resolver esse problema?’”

Quando os pais incitam o filho a resolver o problema estão ensinando a criança a pensar, e esse é um dos papéis mais importantes de um educador. Dos pequenos aos maiores, todos os transtornos podem e devem ser resolvidos racionalmente, sem que os pais caiam na armadilha de imitar os filhos.

Como agir

Noemi Louro não se sentia querida dentro de sua própria casa, e isso era um problema para ela. Sem ter a atenção que gostaria de sua mãe, agia de maneira que ela mesma sabia ser errada, mas o objetivo a impulsionava.

“Para substituir o carinho que eu não tinha da minha mãe eu descontava tudo em internet, em comida”, conta Noemi. “Tentava fazer tudo isso para chamar atenção dela, mas ela nunca notava.”

O resultado das atitudes de Noemi era contrário ao esperado. A mãe, Iara, cada vez mais se frustrava com a filha. Tornou-se mais agressiva e brigava com a menina por qualquer motivo. Ao invés de resolver o problema, criava-se um ainda maior. Deprimida com a situação e sem enxergar saída, Noemi tentou tirar a própria vida várias vezes, tanto parando de comer quanto se cortando com facas.

A agressividade entre as duas ia além de gritos e portas batidas. Elas se agrediam, jogando objetos uma na outra, até que um dia Noemi se trancou no quarto e Iara quase derrubou a porta aos murros. Nesse dia, Iara raciocinou e resolveu procurar ajuda.

“A palestra Transformação Total de Pais e Filhos está aberta a todas as pessoas. Todos são bem-vindos. E você não precisa, necessariamente, ter a presença do seu filho ali para ter o resultado”, afirma Renato Cardoso. “O pai e a mãe que vêm à palestra, ou mesmo apenas um que vem à palestra, já começa a aprender a maneira certa de contagiar o ambiente familiar de forma positiva, já vai trazer o resultado.”

Na palestra, Iara e Noemi buscaram ajuda e aprenderam a resolver os problemas. “Hoje a gente dialoga, a gente é amiga, conversa uma com a outra, ao invés de discutir”, declara Noemi.

Como as duas, muitas outras famílias têm aprendido a resolver os seus problemas na palestra.Clique aqui e veja o vídeo completo de Renato Cardoso falando sobre o assunto, com testemunhos de pessoas que tinham problemas semelhantes e hoje têm uma boa relação familiar.

Você também pode participar da Transformação Total de Pais e Filhos e aprender a lidar com o mau comportamento dos filhos, descobrindo as raízes desse problema e a solução. Vá ao Templo de Salomão no próximo domingo, às 18h, e participe.

Gostou? Então compartilha:

Related Post

Deixe um comentário