O WhatsApp vai acabar?

perda de tempo, tipo de foto, uma investigação policial, WhatsApp,

whatsapp“Sabemos que o WhatsApp é usado no Brasil para crimes como pedofilia, assaltos e tráfico de drogas. O aplicativo serve como facilitador no ambiente virtual para crimes cometidos em ambientes comuns.”

A frase, de Alessandro Barreto, delegado do núcleo de inteligência da Polícia Civil do Piauí, gerou polêmica, após o WhatsApp se negar a dar informações para uma investigação policial, o que resultou no pedido de bloqueio do aplicativo pelo juiz Luís Moura Correia, da Central de Inquéritos de Teresina, capital piauiense.

Apesar disso, para a tranquilidade dos mais de 60 milhões de usuários do WhatsApp no Brasil, até o momento, o aplicativo continua funcionando normalmente.

O WhatsApp conquistou as pessoas pela facilidade e interatividade de qualquer lugar, e, melhor, gratuitamente. Mandar mensagens rápidas, falar com amigos distantes, publicar fotos. São tantas as utilidades da internet, que para alguns chega a ser impossível imaginar a vida sem um celular nas mãos.

O que você tem compartilhado?

A todo instante novidades são postadas, influenciando e gerando polêmica entre os internautas. Mas, infelizmente, as mensagens recebidas pelo WhatsApp e por outras redes sociais não se restringem a coisas boas. Entre o conteúdo compartilhado, há muitos vídeos e fotos pornográficos, convites ao adultério e prostituição, bullying, exposição e divulgação da vida privada, além de conteúdos que nos levam à perda de tempo e energia naquilo que não produz bons pensamentos.

Contudo, como cristãos, a pergunta que não quer calar é: Como temos utilizado desses meios tecnológicos para ajudar as pessoas que estão precisando?

Provavelmente, hoje você já recebeu algum vídeo ou imagem dos seus grupos e amigos do WhastApp, mas será que já compartilhou uma mensagem de fé? Quais são as postagens e influências de suas redes sociais? Qual tipo de foto e conteúdo você compartilha com seus amigos?

Que fique claro que a ideia não é promover mensagens religiosas nem que você se transforme em um “spam” de versículos bíblicos, mas que, por todos os meios possíveis e, principalmente, pelo seu comportamento e testemunho, você possa fazer a diferença e mostrar a luz que há em sua vida, seja online ou pessoalmente.

Gostou? Então compartilha:

Deixe um comentário