Como lidar com as;donas da verdade;

God, opinião dos outros, paciência para entender,

Fotolia_89059762_Subscription_XL.300x200Mulheres que impõem suas opiniões a qualquer custo podem sofrer sérias consequências

Você conhece alguém que costuma discordar de tudo e de todos? Basta que ouça uma opinião contrária para que comece uma discussão? Normalmente, pessoas assim não toleram gostos nem ideias diferentes dos seus porque se acham as “donas da verdade”.

É muito difícil conviver com quem age dessa forma. Por isso, é preciso entender o que leva uma pessoa a ser tão radical a ponto de não tolerar algo diferente.

“Acredito que pessoas que impõem suas convicções, em geral, são pessoas que não lidam bem com limites. Geralmente, esse padrão de comportamento é desenvolvido dentro da própria família, quando pais ou cuidadores não souberam exercer autoridade. Essa criança normalmente se torna um adulto que terá que encarar esse problema”, explica Alessandra Souza de Amorim, psicóloga e especialista em gestão de pessoas.
A mulher que acha que sempre está com a razão tem algumas características peculiares. Ela fala muito e ouve pouco, não tem paciência para entender pessoas ou situações, se irrita quando é contrariada e não tolera frustrações.

Assim, uma conversa com alguém que se sente “dona da verdade” parece uma guerra. Tudo o que é falado soa como um ataque, não há respeito, muito menos compreensão. Nesses casos, o melhor a fazer é tentar expor o problema.

“É necessário ter um diálogo sobre isso. Caso a pessoa não aceite nenhum argumento, imponha limites. Se ainda assim os limites não forem respeitados, a distância física ou emocional é uma opção”, explica a psicóloga.

O afastamento é, geralmente, a consequência mais comum. Com o tempo, as pessoas não ficam mais à vontade para conversar com ela. Há casos em que a mulher perde amigas, se distancia dos irmãos, dos pais e até mesmo do companheiro.

Então, se você tem convivido com alguém que age com arrogância no falar e no pensar, tenha paciência. Tente mostrar-lhe o erro por meio da conversa. Se não der certo, ele terá de aprender sozinha a importância de tolerar a opinião alheia.

Agora, vale destacar: é importante deixar claro que respeitar não quer dizer concordar. É preciso ouvir a opinião dos outros, mesmo quando ela é contrária aos seus valores.

Em seguida, caso a outra pessoa solicite a sua opinião, você pode se posicionar. Demonstrar empatia e saber escutar pontos de vista diferentes, mesmo quando discordamos deles, é uma maneira clara de revelar a sua fé e a sua beleza interior.

Seja flexível e tolerante

– Entre ter razão e ser feliz, escolha a segunda opção.
– Aprenda a se colocar no lugar do outro. Isso se chama empatia.
– Analise sua necessidade de estar sempre certa. Isso pode revelar uma baixa autoestima.
– Procure ajuda, caso não saiba lidar com o problema sozinha.
– Reconhecer que não estamos sempre certas alivia os ombros, pois o peso da razão é grande e muitas vezes não temos forças para carregá-lo. Então, entenda que você não precisa estar sempre certa em tudo.

O Godllywood visa auxiliar mulheres em toda e qualquer situação, desde que ela deseje realmente ser auxiliada e moldada para uma mulher melhor. Conheça mais sobre o grupo e saiba como participar dos projetos clicando aqui.

Gostou? Então compartilha:

Related Post

Deixe um comentário