Violência doméstica

esse tipo de violência, série de fatores, violência contra mulheres,

Uma campanha publicitária destinada a jovens com idades entre 13 e18 no Reino Unido trouxe a consciência da violência doméstica em relacionamentos entre  adolescentes na esfera pública.

A campanha “2 million” voltada a reduzir a violência contra mulheres e meninas, acompanhada de uma pesquisa do NSPCC (entidade que luta contra a crueldade às crianças no Reino Unido), revelou que um quarto das jovens entre 13 e 17 já sofreram violência física dos namorados, e um  terço das  mesmas foram obrigadas a manter relações sexuais sob ameaça e pressão por parte dos seus parceiros.

Esta revelação só contribuiu para agravar ainda mais o problema, uma vez que  em média, cerca de três milhões de mulheres sofrem violência em todo o Reino Unido. Essas formas de abuso vão de sexual à física e de emocional à psicológica, e atingem todas  as classes sociais, idades, religiões e etnias.

Embora a maioria dos casos relatados acontecem  por parte dos homens contra as mulheres, muitos homens também são vítimas do problema. Na verdade, o número de homens afetados por esse tipo de violência pode chegar à 44%. No entanto, os números de vítimas entre homens e mulheres pode ser ainda maior levando em conta que muitos casos não são relatados à polícia.

O problema ganha uma dimensão ainda maior porque não é algo fácil de ser resolvido. Muitas vítimas de abuso sentem-se entre a cruz e a espada.  Elas querem se livrar dos agressores, mas muitas vezes estão atadas ao mesmo  por causa de dependência econômica, medo, pressão familiar e isolamento social. Sem contar uma série de fatores emocionais que fazem com que a vítima se sinta vulnerável e sem forças para lutar contra o  problema.

Se você ou alguém que conhece está sendo vítima de violência doméstica, saiba que não é necesário sofrer em silêncio. O Centro de Ajuda conta com o Grupo de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica ( R.A.H.A.B sigla em inglês), para ajudar todas aquelas que estão sofrendo abusos e maus tratos no seio familiar. Para saber mais ligue para 020 7272 1010.

Gostou? Então compartilha:

Deixe um comentário