Fazendo os votos certos

conhecia a Palavra de Deus, frequentar o Centro de Ajuda, participar de consultas,

vida

“Antes de vir para o Centro de Ajuda eu vivia ‘no limite’. Era viciado em coisas promíscuas e tudo piorava a cada dia. Aos poucos, sem perceber, eu estava perdendo tudo o que tinha.

Eu conhecia a Palavra de Deus, mas não a entendia e não me esforçava para entendê-la. Vivia a minha vida de forma imprudente, sem me importar com as pessoas que eu ofendia, nem com as consequências que minhas ações traziam para os outros, mas apenas com o meu próprio futuro. A fidelidade era um conceito desconhecido para mim. Eu traía a minha namorada e não me importava com a maneira como me apresentava diante de Deus.

Passava a maioria das noites em casas noturnas, bebendo com meus amigos. Mesmo tendo uma namorada, eu não recusava a atenção das outras garotas. Não me importava com o fato de estar em um relacionamento, ela era a única que estava realmente comprometida. Quando estava com ela, eu fingia que tudo estava normal.

Por fora, eu parecia feliz, mas ninguém sabia como eu me sentia interiormente. Estava muito infeliz com a minha vida e, apesar de eu tentar esquecer tudo nas festas que ia, não adiantava nada. Pensava até mesmo em me suicidar. Minha namorada percebeu minha mudança e me incentivou a buscar ajuda, e foi aí que eu caí na realidade. Fui clinicamente avaliado e diagnosticado com depressão. Os médicos disseram que eu era um risco para mim mesmo, e me encaminharam para um psiquiatra. Isto piorou ainda mais as coisas, pois eu achava que estava ficando louco.

Cheguei ao fundo do poço e sentia que tudo poderia piorar mais ainda. Eu achava que teria que aprender a viver daquela maneira. Na época, eu tinha começado a frequentar o Centro de Ajuda, mas não levava os conselhos a sério. Mesmo que eu estivesse tentando mudar, continuava com aquela mesma atitude despreocupada e, por isso, nada mudava.

Mas cheguei ao meu limite e decidi dar um basta naquilo tudo.

Coloquei toda a minha força para alcançar a mudança que eu queria ver na minha vida. Passei a ir às reuniões relacionadas com as áreas da minha vida em que eu mais precisava de ajuda, e isso significava ir praticamente todos os dias. Mas eu não me importava, pois queria realmente que as coisas mudassem.

Queria que este novo compromisso se tornasse parte de mim, então passei a me comprometer com tudo o que eu fazia, inclusive com meu relacionamento.

Não foi fácil, mas hoje minha vida é completamente diferente. Eu ainda enfrento desafios, mas agora sei lidar com eles e superá-los. O psiquiatra me liberou e eu não preciso mais participar de consultas. Sou um homem fiel em tudo o que faço, e aquela mesma namorada que eu tinha na época, hoje é minha esposa. Juntos, estamos seguindo em frente, rumo a um futuro melhor.”

Tapiwa Senah

Gostou? Então compartilha:

Related Post

Deixe um comentário