Eu não tinha nada a perder !

comecei a trabalhar, nada a perder,

“Minha irmã foi diagnosticada com um câncer muito raro em um dos seus olhos e não havia médicos no Brasil que pudessem tratá-la.

Após dois anos passando de hospital em hospital, um médico dos Estados Unidos veio especialmente para tratar do caso dela, porém já era tarde demais, e seu olho teve que ser removido. Aquele triste episódio triste causou um grande impacto em minha família: meu pai se distanciou e mergulhou no trabalho, minha mãe desenvolveu uma doença mental e teve que ser internada em uma clínica.

Como consequência disto, acabei sendo obrigada a amadurecer muito rápido, e aos 12 anos de idade eu comecei a trabalhar. Para lidar com aquela dura realidade, busquei em festas, álcool, drogas, cigarros e rapazes, um refrigério; mas de nada adiantou.

Acabei conhecendo o Ricardo, que na época também era viciado e estava no mesmo estado do que o meu, e começamos a namorar. Com o passar do tempo, Ricardo começou a frequentar o Centro de Ajuda, e por isso, eu o deixei. Mas o meu sofrimento não havia parado: meu pai era abusivo e eu estava cada vez mais deprimida.

Quando finalmente reconheci que minha vida era um verdadeiro caos, decidi aceitar o convite de ir ao Centro de Ajuda. Cheguei em uma ocasião em que Fogueira Santa de Israel estava acontecendo, e resolvi participar. Afinal, eu não tinha nada a perder.

Pedi a Deus que mudasse minha vida completamente, e apenas uma semana após entregar o meu voto, minha mãe recebeu alta da clínica. Aos poucos, notei que eu já não mais chorava sem motivos aparentes, e que tinha paz interior. Ricardo também se livrou dos vícios, voltamos a namorar e depois de nove meses nos casamos. Desde então, temos servido a Deus com as nossas vidas no altar.”

Eunice Silva,
eunicesilva.com

Gostou? Então compartilha:

Deixe um comentário