“Encontrei tudo que estava procurando”

descobri a pornografia, dificuldades da minha vida, Eu não via razão para estar viva,

"Encontrei tudo que estava procurando"

Sentia-me presa. Com seis anos de idade, descobri a pornografia. Estava tão acostumada à minha própria companhia que cava assistindo TV até tarde. Uma noite aquilo apareceu na TV e a imagem ficou gravada na minha memória. Não conseguia me livrar dela. Foi assim que o vício começou. Com o passar do tempo, fiquei extremamente insegura. Eu tinha uma autoestima muito baixa e me comparava com as outras jovens. Achava que não era boa o suficiente.

Durante esse período da minha vida, sofri com ataques espirituais. Me sentia sozinha e perdida, sempre queria atenção. Cresci na Holanda com a minha mãe e a minha irmã. Meus pais não estavam juntos na época, mas depois de um tempo eu me mudei para a Angola por um ano e eles se reconciliaram. Eu acreditava que as coisas iriam melhorar, mas aconteceu o contrário. Meu pai traiu a minha mãe e os desentendimentos deles continuaram. Minha casa não tinha paz.

Meu pai era muito distante, ele nunca disse que me amava. Aquele foi um dos períodos mais difíceis da minha vida, e por causa de todo o estresse, minha mãe ficou muito doente, tendo que lutar por sua vida. Eu era a única pessoa capaz de cuidar dela, então tentei fazer o meu melhor para dar todo o apoio que ela precisava. Todas as noites eu chorava até dormir. Estava cansada de tanta dor e aflição.

Algum tempo depois, as coisas melhoraram. Meu pai percebeu seu erro e começou a mudar. Decidi terminar meus estudos em Londres, então vim para cá sozinha, aos 18 anos. No começo, as coisas estavam indo bem, mas eu ainda tinha muitos problemas interiores, como inseguranças profundas, dúvidas e muito ódio.

Pouco tempo depois, comecei a ter dificuldade para me manter financeiramente. Chegou um ponto em que eu não tinha dinheiro nem para comprar comida. Tinha chegado ao fundo do poço. Eu não via razão para estar viva. Tudo na minha vida estava dando errado. Lembro- me de ter perguntado várias vezes a Deus: “Por que eu? O que eu z para merecer isso?” Eu não entendia porque estava sofrendo tanto. Consequentemente, fiquei muito deprimida. O peso era demais para eu suportar.

Minha mãe sabia que eu não estava feliz. Ela me ligou e explicou que eu precisava mudar, mas eu a culpei pela minha dor e disse a ela que queria me matar. Queria que o sofrimento acabasse.

Desesperada, ela digitou “libertação” no Google, e o primeiro resultado que surgiu foi o link para o site do Centro de Ajuda. Ela leu os testemunhos e teve certeza de que a minha vida mudaria se
eu fosse até aquele local. Ela me enviou o número do telefone no mesmo dia e, por causa da sua persistência, eu liguei para a linha de ajuda uma semana depois. Marquei um horário com o pastor das sessões do Tratamento dos Vícios, pois eu ainda tinha um problema de autocontrole quando se tratava de pornografia. Ele conversou comigo, me olhou nos olhos e disse: ‘Você vai ficar livre desse vício’.

Naquela mesma semana eu me envolvi com o VYG e fiquei admirada com o grupo. Tomei a decisão de dar o meu tudo e me entregar completamente a Deus. Eu desejava mudar, mas, acima de tudo, queria Deus na minha vida. Queria estar em paz e ser feliz.

Encontrei tudo o que eu estava procurando no Centro de Ajuda. Foi naquele lugar que eu consegui vencer a pornografia, a depressão, a raiva e as dificuldades da minha vida. Tenho boas perspectivas quanto ao meu futuro e, atualmente, estou na universidade.

Por causa de Deus, das pessoas que me ajudaram e da minha perseverança, finalmente recebi o que eu tanto queria: paz, felicidade, força e coragem. Não estou mais vazia nem sozinha. Finalmente, me sinto completa, e não trocaria isso por nada.”

Anifa da Silva

Gostou? Então compartilha:

Deixe um comentário