Dependente!

parte do seu tempo, um conflito constante, uma atitude positiva,

Dependente!“Meus pais estavam à beira do divórcio. As brigas constantes em casa me afastavam deles. Passava muito tempo na rua com más companhias, pois assim, fugia do ambiente insuportável que vivia em minha casa.”

Na adolescência de Kelson, ele se distanciou ainda mais das pessoas e se isolou em seu próprio mundo. Essa falta de interação social junto com a insônia, foi a combinação perfeita para criar uma curiosidade que se tornou um vício. Vício este, que consumiria grande parte do seu tempo.

“Eu preferia estar sozinho. Não estava indo muito bem na escola, não conseguia dormir à noite e o pouco que eu dormia era sempre atormentado por pesadelos. No começo, assistir pornografia era uma forma de distração para tudo aquilo que me estressava. Porém, em pouco tempo aquilo acabaria por consumir de 60% a 80% da minha semana.

Eu nunca fui viciado em drogas, álcool ou em qualquer coisa. Porém, meu desejo de assistir pornografia era igualmente forte. Isso distorceu completamente a maneira como eu via as pessoas – especialmente as mulheres. Eu tinha dificuldades para me comunicar e me socializar. Olhando para trás, posso ver o quanto aquilo realmente era um problema.

Durante meus piores momentos – viciado, vivendo em acomodações para desabrigados e lutando para manter um emprego -, lembrei-me das orações da minha mãe por mim. Essa memória foi como um gatilho. Era como se eu estivesse me vendo pela primeira vez e odiava o que via. Eu estava cansado da minha vida. Eu queria mudar.”

Uma curta estadia na casa de sua mãe marcou a sua vida completamente. O comportamento e a aparência dela estavam drasticamente diferentes do que ele se lembrava. As palavras duras e o temperamento difícil desapareceram; agora, ela parecia estar calma, no controle de sua vida. A melhora foi tão grande, que ele não poderia deixar de se perguntar se aquilo poderia acontecer com ele.

“É por isso que comecei a frequentar o centro de Ajuda. Esperava que a minha vida melhorasse como a da minha mãe melhorou. Durante todo esse período, me concentrei em vencer o vício em pornografia. Foi uma luta acreditar que eu realmente poderia ser livre. Havia um conflito constante em minha mente, mas eu perseverei.

A igreja me ajudou a fortalecer minha vontade de abandonar o vício em pornografia e também deixar as minhas inseguranças para trás, oferecendo apoio e um grupo de pessoas que pensam da mesma maneira que eu. Hoje já faz 16 anos que estou livre. Na igreja, aprendi a interagir com os outros, a socializar e a construir relacionamentos saudáveis. Eu encontrei o meu valor pessoal e tenho confiança em mim mesmo. Hoje ajudo a outros que, como eu, vêm em busca de ajuda.

Na igreja há grande apoio para pessoas que passam por problemas. O reunião de sexta-feira foi de grande ajuda para mim, especialmente as conversas individuais com os obreiros. A reunião de quarta-feira ajudou a construir minha autoconfiança. Eu encontrei pessoas que tiveram uma atitude positiva em relação à vida. Conforme minha fé crescia, também aumentava minha necessidade de ser feliz, depois de anos de solidão.”

As reuniões das quais Kelson participava são muito semelhantes às reuniões “A mente de um viciado” que visam capacitar viciados e suas famílias a quebrar seus hábitos prejudiciais, recuperando assim o controle de suas vidas.

A vida de Kelson está muito longe do que costumava ser. Ele agora tem duas filhas, é feliz e realizado. Já não é mais um desabrigado. Hoje, ele se encontra realizado profissionalmente trabalhando na área de engenharia.

Kelson dos Santos

Você também está preso em um ciclo negativo e quer mudar sua vida para melhor? Junte-se a nós nas reuniões “A mente de um viciado”, que acontecem todos os domingos às 15h no Teatro Rainbow.

Gostou? Então compartilha:

Deixe um comentário