Caminhando para um futuro promissor

consegui muito dinheiro, mãe do meu, queria a minha liberdade,

Caminhando para um futuro promissor

 

Eu posso dizer que até os meus 13 anos de idade a minha infância foi boa, pois tinha tudo. Era feliz, alegre, tinha uma família unida e não me faltava nada. Aparentemente, tudo estava bem. No entanto, após os meus 13 anos de idade o percurso da minha vida começou a mudar, pois deixei de ouvir os conselhos da minha mãe e decidi ir para o mundo aproveitar a vida.

Tudo começou quando comecei a relacionar-me com várias mulheres, consequentemente, enveredei-me pelo caminho do álcool e das drogas. A partir daí, o que era um lar unido e estruturado, passou a ser um lar com brigas constantes e desentendimentos.

“Eu chegava a ficar 2 dias ou mais sem aparecer em casa e sem dar notícias. Aos poucos comecei a afastar-me da minha família e estava cada vez mais envolvido com drogas e álcool. Devido a isto, o meu aproveitamento escolar começou a descer extraordinariamente, pois eu já não me focava nos estudos, somente naquele estilo de vida que eu escolhi viver. Dos vícios passei a roubar e a traficar.

Eu já estava extremamente envolvido com pessoas mais velhas e muito influentes no mundo do tráfico. Eles ensinaram-me a roubar e a traficar para poder sustentar o meu vício. Com o tráfico eu consegui muito dinheiro e reconhecimento, pois eu vendia, mas não consumia e isso atraía mais clientes, principalmente, mulheres.

Com este estilo de vida eu adquiri carros, motas, estava sempre em festas e tinha qualquer mulher que quisesse. Aparentemente tinha tudo, mas quando chegava em casa o vazio vinha. Eu tinha tudo, mas ao mesmo tempo não tinha nada. Sentia-me um nada, perdido em mim mesmo com aquele buraco negro dentro de mim.

O tempo foi passando e a minha fama no mundo do crime foi crescendo. Com isso crescia um medo incondicional, pois parecia que já não tinha saída para mim e que eu estava condenado a viver naquele mundo cruel. Conheci uma mulher que passou a ser a mãe do meu filho. Eu pensei que as coisas iriam melhorar a partir dali, mas isso não aconteceu. Pelo contrário, envolvi-me mais com o mundo do crime, pois precisava cada vez mais de dinheiro para poder pagar as contas e sustentar a minha família. Com isto, aquele vazio que eu sentia dentro de mim só aumentava.

Lembro-me daquele dia em que eu e os meus amigos saímos da praia e de repente um barulho aterrador assustou-nos. Foi um tiro que acertou em cheio num dos meus amigos que caminhava ao meu lado. Ele morreu na hora. Ainda me recordo do seu último grito. Eu presenciei amigos morrerem, outros a serem presos devido a delitos cometidos.

Foi a partir daí que eu percebi que deveria largar aquela vida, pois eu poderia ser o próximo a morrer ou a ir preso. Porém, sempre que eu tentava afastar-me desses caminhos, os amigos vinham e influenciavam-me a continuar com aquela vida criminosa. Eu não conseguia dizer que não e o vazio continuava. Enquanto isso, a minha mãe orava por mim, pedindo a Deus que eu largasse aqueles caminhos. Eu, por sua vez, via-me condenado ao crime, por isso eu decidi sair do país. Pensei que fosse recomeçar uma nova vida aqui em Londres, mas muitos foram os momentos em que eu tive várias recaídas.

casos-in2Certo dia, passei pela porta de um Centro de Ajuda e decidi entrar, pois precisava de ajuda e de uma palavra que me direccionasse realmente a um novo recomeço de vida. Na realidade, eu já conhecia o Centro de Ajuda desde o Brasil, mas como é óbvio, pela conduta de vida que levava, nunca tive interesse de entrar num. Devido à necessidade que sentia naquele momento, eu vi o Centro de Ajuda como a única oportunidade de mudança. Eu fui muito bem recebido pelos conselheiros e senti-me como se estivesse em casa.

Ninguém me julgou pelo meu passado. No entanto, mesmo decidindo frequentar as reuniões no Centro de Ajuda, eu ainda estava envolvido com o álcool e festas, o que fez com que eu não saisse do mesmo lugar, ou seja, fez com que a minha vida não progredisse. Com o tempo decidi fazer as Correntes de Segunda, Sexta e Domingo e aos poucos fui me libertando. Mas, um dos piores momentos da minha vida foi quando cheguei a ser preso devido a erros cometidos no passado. A essa altura eu já conhecia o trabalho do Centro de Ajuda e estava ciente do que tinha de fazer para me livrar daquela situação – sacrificar.

Mesmo preso dei o meu tudo pelo tudo de Deus. Eu queria a minha liberdade. Aos olhos humanos parecia impossível, mas Deus fê-lo se tornar possível. Deus respondeu-me com a minha liberdade. Eu decidi entregar-me de verdade para Deus e hoje a minha vida está completamente diferente. Aquele Aldemar controlado pelos amigos e pela vida do crime já não existe mais. Já não sou mais um viciado, nem preciso de festas para preencher o meu vazio, pelo contrário, tenho paz no coração, durmo tranquilamente e hoje, tenho condições de ajudar outras pessoas. Também, adquiri propriedades no meu país e o mais importante, conheço verdadeiramente a Deus.

“Se eu consegui vencer, você também consegue!”

Aldemar de Jesus

 

 

Gostou? Então compartilha:

Deixe um comentário