“Alcançamos o sucesso financeiro”

Centro de ajuda, fazer algo grande, God, plano de Deus,

fabianaEla era católica, ele muçulmano. Um romance que logo se transformou em um caso impossível. A brasileira Fabiana e seu então namorado iraniano, Sharokh, nutriam grandes esperanças em relação ao futuro. No entanto, em alguns meses de relacionamento, os problemas começaram a aparecer. As diferenças do casal não impediram que eles se casassem, mas o que veio a seguir – fraude, doença, perda, pensamentos de suicídio e uma muralha de dívidas – gerou tanta pressão sobre a relação, que o término parecia iminente

Onde estava aquele Deus de quem Fabiana cresceu ouvindo? Por que Ele não estava a ajudando? Será que Ele não via seu sofrimento? Ou será que todos aqueles problemas eram uma cruz que ela tinha que carregar? Em lágrimas, cheia de preocupações, ela entrou no ônibus número 4, desesperada por algum tipo de sinal ou intervenção divina. Então, o ônibus quebrou na frente do número 232 da Seven Sisters Road. Quando Fabiana olhou para fora da janela avistou o Teatro Rainbow, e algo naquele prédio a atraiu.

“Eu tinha passado por aquele edifício várias vezes, mas nunca reparei que era uma igreja”, ela conta, lembrando da primeira vez em que pisou no Centro de Ajuda. “Eu estava chorando, porque, na época, meu marido estava com pensamentos de suicídio, pois tínhamos sido vítimas de uma fraude que nos deixou endividados de uma maneira que não sabíamos o que fazer. Ao mesmo tempo, eu tive que esperar 3 meses pelos meus documentos, e tudo parecia dar errado.”

Fabiana conversou com o pastor, que desafiou sua fé de um modo que ela nunca tinha visto antes. “Ele orou e me disse que meus documentos chegariam; eu precisava apenas crer e ter fé em Deus. Pensei: ‘Não é tão simples assim’, e achei que ele era louco, mas aconteceu exatamente como ele tinha dito. Achei incrível. Era tudo completamente diferente do que eu tinha visto e ouvido como católica. Lá, Deus era real e acessível. Eu precisava voltar àquele lugar.”

Fabiana foi encorajada a mudar seu foco das coisas que seu coração e as circunstâncias a mostravam para a Palavra de Deus e Suas promessas, e foi incentivada a colocar sua fé em ação. Conforme ela participava das reuniões, ouvia coisas que despertavam sua fé e abriam sua visão.

“O plano de Deus não era que eu sofresse. Ele prometeu uma vida abundante e, sim, eu teria que arregaçar minhas mangas e lutar, mas estava pronta para isso! Meses se passaram e eu vi muitas mudanças em meu casamento e em minha vida, em geral.

Minhas mudanças trouxeram meu esposo ao Centro de Ajuda também. Juntos, começamos a reconstruir nossa vida, de um propósito de fé em outro; de uma corrente de oração em outra. As coisas pareciam bem, até que meu esposo adoeceu”. Sharokh foi diagnosticado com uma doença inflamatória – uma condição que afeta o cólon e o intestino delgado.

Por mais que se esforçassem, tudo o que os médicos podiam fazer era prescrever medicamentos para aliviar a dor e o desconforto. “Foi um choque para mim. Inicialmente, fiquei muito triste e preocupado, mas não estava desesperado como antigamente. Ou nós aceitaríamos a situação – o que seria como uma sentença de morte – ou lutaríamos, e escolhemos lutar! Resolvemos participar da campanha. Foi uma de nossas primeiras experiências com o sacrifício e o poder de Deus. Colocamos nossa fé no altar e eu voltei a fazer novos exames.” Sharokh recebeu dos médicos a notícia de que não tinha mais nada. “Esta foi a prova de que o sacrifício funcionou!”, disse Fabiana, com entusiasmo. “Participamos de outras campanhas e vimos coisas acontecendo, mas não as fizemos com a mesma intensidade que antes.

Olhando para trás, entendo que a menos que você apresente um sacrifício perfeito – o que Deus pede de você – você não pode receber a resposta que procura. Se você colocar no altar apenas qualquer coisa, ficará desapontando. Eu acho que esse foi o nosso erro. Nessa altura, estávamos vivendo uma ‘vida confortável’, mas não aceitávamos apenas isso. Nós tínhamos planos para o futuro e, embora estivéssemos trabalhando para alcançá-los, eles nunca aconteciam como queríamos. Sempre parecia haver um grande obstáculo ou resistência que nos impedia de avançar, apesar de nos esforçarmos ao máximo.

Queríamos abrir um negócio de importação / exportação e alcançar a estabilidade nanceira, especialmente após a perda de nosso segundo filho. Houve algumas complicações durante a minha gravidez e acabei por perder o bebê. Essa perda foi um grande choque para nós. Não conseguimos financiar o cuidado que era necessário e essa limitação provocou tanta revolta em nós, que recusamos continuar vivendo uma ‘vida confortável’. Meu marido e eu prometemos sacrificar como nunca antes. Se Deus fez o impossível em nossa vida antes, também poderia fazê-lo novamente, mas tudo dependia de nós.”

Quando a Campanha do Templo de Salomão surgiu, em julho deste ano, a revolta de Gideão tornou-se a petição de Fabiana e Sharokh perante Deus. “Se o SENHOR é conosco, por que tudo isto nos sobreveio? E que é feito de todas as suas maravilhas que nossos pais nos contaram?…” “Nos lançamos completamente nessa campanha. Tínhamos a certeza total de que Deus responderia. Lembro-me que tínhamos que pagar muitas contas e não tínhamos o suficiente para fazer isso. Meu marido e eu conversamos e concordamos que era hora de invocar a Deus e fazer algo grande. Decidimos sacrificar e apresentar tudo o que éramos e tudo o que tínhamos a Deus. (Juízes 6:13)

Nós participamos da campanha com a certeza de que Deus transformaria nossas finanças, da mesma forma que Ele havia mudado a saúde do meu marido. O que nós tínhamos no momento não era o su ciente para resolver nossos problemas ou mudar nossa qualidade de vida, então, fazia sentido para nós trocar aquilo pelo que Deus prometeu. Nossa fé era que daríamos a Deus o que tínhamos, em troca do que Ele planejou para nós. Sabíamos que seria difícil, mas acreditamos no que estávamos fazendo, então pegamos tudo o que tínhamos e colocamos no altar. Ninguém nos disse para fazer isso. Foi entre nós e o altar. Inicialmente, depois de apresentar o nosso sacrifício, nem sequer sabíamos como o meu marido iria chegar ao trabalho, nem como as coisas mudariam, mas con amos no altar e tínhamos a certeza do nosso sacrifício.”

Pouco tempo depois, coisas inesperadas começaram a acontecer.

“Foi como se aquela resistência enorme que estávamos enfrentando tivesse caído. O primeiro sinal foi que nós recebemos um carro e uma soma inesperada de centenas de milhares! Não conseguíamos acreditar! Logo após, uma batalha judicial de cinco anos foi julgada a meu favor e ficou decidido que eu receberia mais uma quantia alta. Fazia tanto tempo que eu estava lutando por aquilo, que já tinha praticamente esquecido! Além disso, recentemente conseguimos abrir nosso negócio de importação / exportação e as coisas estão realmente progredindo. Esta campanha abriu portas que pensávamos ser impossíveis, e deu um novo rumo à nossa vida. Hoje estamos colhendo o fruto do que plantamos no altar. O sacrifício funciona! Nós estamos vendo isso com nossos próprios olhos

Fabiana Hatami

Gostou? Então compartilha:

Deixe um comentário