Eu Queria Matar Meu Irmão! Mas Decidi Me Livrar Do Ódio

maisha e1602853270672Dizem que guardar rancor é como beber um copo de veneno e esperar que a outra pessoa morra. Se pararmos para pensar, isso é loucura, sem contar que é um dos estilos de vida mais tristes e autodestrutivos. Maisha Sumah conhece muito bem o custo alto deste sentimento.

“Eu cresci com meu irmão e meus pais. Meu pai nos tratava diferente, pois não era pai do meu irmão. Ele costumava ter mais cuidado para comigo e esse tratamento preferencial criou uma divisão entre meu irmão e eu.

Nós nos odiávamos e estávamos sempre brigando. Meu ódio contra ele era tão profundo, que eu até pensava em como poderia matá-lo. Com o passar dos anos, eu até queria ter um laço familiar com ele, mas ele me ignorava e dizia coisas que me magoavam. Isso fez eu odiá-lo mais ainda.

Mas as coisas começaram a mudar quando o VYG (o grupo jovem da Universal) veio à minha escola para promover seu trabalho. Eu achei interessante, então resolvi ir conhecer a igreja. Lá, fui aconselhada a me livrar da mágoa que estava guardando. Tenho que admitir que não foi fácil. Eu tive que lutar comigo mesma, porque não queria perdoá-lo, mas ao agir com base naquele conselho, minha perspectiva começou a mudar.

Eu entendi que não vale a pena guardar mágoas pois, ao fazer isso, estamos guardando dentro de nós uma negatividade tóxica. Decidi perdoar, pois ao guardar aquele ódio, eu estava prejudicando mais a mim mesma do que ao meu irmão. O perdão me deu uma liberdade que eu nunca tive enquanto odiava!

Curiosamente, minha mudança também gerou uma mudança em minha família. Meu irmão voltou a falar comigo após sete anos. Nosso relacionamento foi completamente transformado. Agora, ele vem me visitar e somos muito mais próximos. Minha decisão de perdoar – e pedir perdão – trouxe paz para a minha vida.”

Maisha Sumah

Gostou? Então compartilha:

Deixe um comentário